Projeto

Em outubro de 2017, um grupo de médicos envolvidos com o trabalho social voluntário criou o projeto “Médicos do Bem”, assim denominado por sua idealizadora, Isabel Salomão de Campos, que dedica sua existência quase centenária a beneficiar milhares de pessoas com seu trabalho humanitário de atenção a populações socialmente abandonadas e a pessoas emocionalmente fragilizadas.

Desta forma, o projeto é desenvolvido em um campo mais amplo, coerente com a Organização Mundial de Saúde, que define saúde como “(…) um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não somente ausência de afecções e enfermidades”.

Diante da grave realidade da saúde pública local e inspirados em princípios cristãos, desenvolvemos um modelo de atenção à saúde integral de comunidades de Juiz de Fora (MG). Com sede própria circundada por bairros carentes, criamos uma rede de profissionais voluntários e instituições parceiras, que se capilarizou para o atendimento por profissionais especializados, a realização de exames, a assistência social e a orientação multidisciplinar às famílias atendidas.

Muitos já foram os resultados alcançados, para mais de 550 atendidos e para mais de 100 profissionais desta rede, que têm aprendido a “estar bem fazendo o bem”.

Na Comunidade Espírita “A Casa do Caminho”, entidade assistencial fundada há 45 anos em Juiz de Fora (MG) e que deu origem à equipe de médicos responsáveis pelo presente projeto, tivemos a oportunidade de participar de um amplo leque de ações sociais voluntárias, entre as quais estão aquelas relacionadas à saúde coletiva. No ano de 2002, esta Comunidade, que possuía um terreno no bairro Jardim Gaúcho, iniciou uma parceria com o Lar Fabiano de Cristo, prestando atendimento à população carente daquele bairro e circunvizinhanças, em suas mais variadas necessidades. Tal parceria, que se estendeu por mais de uma década, possibilitou-nos adquirir um conhecimento detalhado das demandas daquela população. Por motivos alheios à nossa vontade, relacionados a conjunturas nacionais, a continuidade dessa parceria se inviabilizou, ficando aquela população mais desamparada socialmente. Diante disto, buscamos uma forma de retomar a assistência àqueles desvalidos. Lançamo-nos à esta empreitada, partindo do seguinte raciocínio: já tínhamos os necessitados, um local com sede própria para atendê-los e alguns profissionais disponíveis para o início do processo. O que nos faltava? A coragem em dar a partida. Foi então que dona Isabel Salomão de Campos, fundadora e presidente-diretora de nossa Comunidade Espírita e idealizadora do presente projeto, baseada em sua experiência de mais de setenta anos dedicados à filantropia, convidou-nos ao início das atividades naquela sede, que foi por ela denominada Recanto do Caminho. Assim, no dia 21/10/2017, iniciamos um trabalho com médicos e demais profissionais de outras áreas da saúde, que se dispuseram a atender de maneira voluntária naquela localidade e também em seus consultórios e clínicas. A nossa realidade local apresenta características encontradas em várias partes de nosso país, marcadas pelo abandono generalizado. Infraestrutura urbana deficiente, coleta de lixo irregular, saneamento básico precário, renda financeira baixa, postos de saúde insuficientes, deficiente atenção das entidades públicas e impossibilidade de se recorrer a exames complementares básicos. Nossa experiência prática mostrou-nos uma incidência de sofrimentos pessoais muito mais amplos que os relatados na literatura específica. Assim, fomos conduzidos, pelos “gritos de socorro”, a intervir novamente junto à população carente daquela localidade. Então criamos de uma rede voluntária de ação efetiva de profissionais da saúde, experiência inédita em nossa região.

Entendemos não ser preciso listar os condicionantes dos problemas da saúde pública brasileira e nem é este o objetivo desta proposta. Basta um olhar despretensioso para se perceber a necessidade de novos mecanismos que minimizem os sofrimentos da população. É imperiosa a necessidade de ações que busquem criar, no campo da saúde, um elo eficiente entre a demanda e a oferta, apartadas historicamente. Entendemos ser inadiável e urgente repensarmos a questão assistencial na saúde, buscando ações que favoreçam pacientes, profissionais e também os sistemas de saúde. Para tanto, devemos levar em consideração os aspectos filosóficos, sociais e políticos envolvidos, uma vez que os dados estatísticos sobre o tema desencorajam qualquer movimento de socorro ao próximo. Não obstante, o momento demanda justamente o contrário, ou seja, uma mudança postural do profissional da saúde, buscando proatividade na promoção da saúde integral e coletiva. É com este paradigma que aceitamos o desafio de realizar este projeto, que tem como um de seus objetivos centrais ensinar que a necessidade do pobre e abandonado é dever do cidadão socialmente bem-posto. Desta forma, o presente projeto quer mostrar ao “doutor” culto e diplomado que a dor não escolhe endereço e que o recurso para mitigá-la pode, sim, estar em suas mãos. Para tanto, criamos um modelo inovador de atenção à saúde, através do qual oferecemos àquela população uma maior e contínua proximidade com os profissionais de saúde. Não se trata da criação de uma nova rede assistencial, mas sim de uma frente intermediária que é sutil e ao mesmo tempo vigorosa, tendo o papel de agente facilitador da saúde. Assim sendo, este projeto começou e se sedimentou como elo entre os necessitados e os profissionais que possuem as ferramentas de auxílio. Na sede do projeto, o atendimento é periódico quinzenalmente, identificando e documentando as necessidades dos pacientes. De posse desses dados, contatamos os médicos especialistas, fisioterapeutas, fonoaudiólogos ligados à rede criada, além de clínicas e laboratórios parceiros do projeto. Ao longo do tempo, o projeto foi ampliado para envolver profissionais de outras áreas, como descrevemos no item 7 deste formulário. Criar tais oportunidades a tantos profissionais é uma das características inovadoras do projeto. Pretendemos ampliar nossas ações, mantendo o mesmo objetivo: promover a saúde integral e coletiva, possibilitando aos profissionais envolvidos a “Estar bem fazendo o Bem”.

Como base para desenvolvermos as estratégias do projeto, assumimos como princípios norteadores as palavras do homem que mudou a história da humanidade: “Faça aos outros o que gostaria que os outros lhe fizessem” (Jesus). Portanto, fundamentamo-nos na filosofia do bem viver, que só existe pela convicção da atuação do Médico Sublime, Jesus. Por ser a Comunidade Espírita “A Casa do Caminho” a proprietária cedente do local-sede do projeto, pudemos adotar um cronograma de trabalho flexível, com todos os atendimentos médicos iniciais feitos nos segundos e quartos sábados de cada mês, onde as queixas são avaliadas por dois médicos com experiência generalista. Com o registro de cada atendimento, ocorre o encaminhamento dos pacientes aos especialistas da rede, que por sua vez oferecem seus locais de trabalho – público ou privado – para receber e tratar cada enfermo. Caso o especialista tenha condição de dar sequência por meios próprios, assim será feito. Na impossibilidade desta ação, o paciente é encaminhado de volta à unidade do atendimento inicial, que fará disparar novas ações, complementando as necessidades de cada caso. Nesta etapa intermediária, toda e qualquer dificuldade de avanço no atendimento é centralizada na unidade de atendimento inicial (a sede no bairro Jardim Gaúcho), cuja equipe fará quantos encaminhamentos se façam necessários para o desfecho do caso. Alguns exemplos serão relatados no item 8 deste formulário. Ao longo de todo processo, profissionais de diversas áreas da saúde também se concentram no Recanto do Caminho, fornecendo assistências fisioterápicas, fonoaudiológicas, nutricionais, etc. Para além do tema saúde, outros profissionais – como assistentes sociais, advogados e professores de educação física – fornecem orientações e soluções que se façam necessárias nos assuntos correspondentes, criando não só a rede “Médicos do Bem”, mas uma outra rede mais ampliada, denominada, por d. Isabel Salomão, de “Nós do Bem”. Como outra estratégia do presente projeto, adotamos o cuidar, não somente dos aspectos físicos, mas também dos aspectos emocionais e espirituais dos pacientes, com vistas ao desenvolvimento e à manutenção de uma de uma medicina integral e mais profunda, com importantes repercussões no bem-estar da população atendida pelo projeto, em nossa cidade.

No período de 21/10/2017 a 21/10/2019, foram assistidas mais de 350 pessoas, com diferentes graus de necessidade. Dezenas de especialidades médicas foram acionadas para assistência voluntária a estas pessoas. Num balanço resumido, foram atendidos na cirurgia vascular 30 pacientes e realizados 20 exames de doppler MMII, com oferecimento de meias elásticas. Na cardiologia, 30 pacientes foram diagnosticados e realizados 11 ecotranstorácicos com doppler, 2 MAPAs, 25 eletrocardiogramas, 4 holters e 9 testes ergométricos. Na dermatologia, atendemos 25 pacientes, sendo proporcionado um Teste Laboratorial de Onicomicose. Oferecemos ainda centenas atendimentos envolvendo outras especialidades médicas. Tudo isto sem contabilizarmos o grande número de exames laboratoriais realizados e de medicamentos doados por farmácias parceiras ou por nós custeados. Para melhor ilustrar os resultados do projeto, iniciamos com o relato de um caso de extrema gravidade. No dia 20 de abril de 2019, a Sra. R.C.A., 44 anos, deu entrada nas dependências do Recanto do Caminho, queixando-se de sintomas compatíveis de lombociatalgia incapacitante. Um dos médicos da equipe do projeto, especialista em dor crônica, atendeu à paciente oferendo medicação analgésica, dando-lhe assim condições de relatar o caso. Em seguida, a mesma foi encaminhada diretamente para a realização de uma ressonância magnética e, posteriormente, a um ortopedista especializado em coluna vertebral, que diagnosticou processo expansivo/compressivo de extrema gravidade, relacionado a abcesso infeccioso. Então, a paciente foi encaminhada ao Hospital Universitário da UFJF – uma das instituições parceiras do nosso projeto – onde foi submetida a tratamento cirúrgico de urgência, com drenagem da causa compressiva e instrumentação do segmento da coluna afetado. A cultura diagnosticou processo inflamatório ligado a tuberculose. Passados três meses, a paciente retornou à sede do projeto, caminhando sem auxílio e sem queixas de dor, dando seu testemunho com gratidão pelo sucesso do tratamento. É importante destacar que todos os pacientes atendidos retornam à unidade de atendimento inicial – Recanto do Caminho – nas diversas etapas da condução, até a finalização do caso. Com isto, temos a possibilidade de avaliar, de maneira pormenorizada e consistente, o encadeamento dos eventos, o que gera em nós, profissionais voluntariamente atuantes no projeto, um profundo sentimento de bem-estar e realização, típico daqueles que fazem o Bem.

Fotos

Equipe

Dr. Marcos Rodrigues Furtado de Mendonça (Coordenador do Projeto Médicos do Bem) – Anestesiologista, Médico da Dor e Clínico Geral

Dr. Adriano Fernando Mendes Junior – Ortopedista e Traumatologista

Dr. Amaury Bara – Neurocirurgião

Dr. André Costa Pinto Ribeiro – Otorrinolaringologista

Dr. Antônio Augusto Miana – Cirurgião Vascular

Dr. Arnaldo Gonçalves de Jesus Filho – Cirurgião de Mão

Dr. Bruno Farjado do Nascimento – Ortopedista e Traumatologista

Dr. Bruno  Eduardo Pereira Laporte – Mastologista

Dra. Carla Valéria de Alvarenga Antunes – Pneumologista

Dr. Carlos Henrique Araújo Pianta – Neurologista

Dr. Carlos Otávio Magaldi Filho – Cardiologista

Dr. Célio Carneiro Chagas – Cirurgião Pediátrico

Dra. Denise Gasparetti Drumond – Ginecologista e Obstetra

Dr. Didier Silveira Castellano Filho – Ginecologista e Obstetra

Dr. Eduardo Couto – Clínico Geral

Dra. Elyara Maria Malta Braga – Médica Nuclear

Dra. Estela Gelain Junges Laporte – Mastologista

Dra. Flávia Lopes de Macedo – Endocrinologista

Dr. Guilherme Côrtes Fernandes – Infectologista

Dr. Guilherme Moreira Ferreira – Urologista

Dra. Héster Oliveira Pestana Bevilaqua – Cirurgiã Geral

Dr. Isolino Geraldo de Almeida – Angiologista e Cirurgião Vascular

Dr. Ivan Borges de Matos Resende – Cirurgião do Aparelho Digestivo

Dr. João Baptista de Paula Fraga – Coloproctologista

Dr. João Batista de Menezes Valério – Cirurgião de Cabeça e Pescoço

Dr. João Carlos de Sá Campos – Neurocirurgião

Dr. João Paulo Vieira – Cirurgião Torácico

Dr. José Carneiro Gondim Filho – Otorrinolaringologista

Dr. José Laerte da Silva Barbosa – Psiquiatra

Dr. Juliano Machado de Oliveira – Gastroenterologista

Dr. Jurandir Antunes Filho – Ortopedista e Traumatologista

Dra. Karla Oliveira Cimino – Gastroenterologista

Dr. Leonardo Miana – Cirurgião Vascular

Dr. Leopoldo Antunes Pires – Neurologista

Dra. Lize Vargas Ferreira – Endocrinologista e Gastroenterologista

Dra. Luciana Rosin Garcia – Oftalmologista

Dr. Luiz Geraldo de Carvalho Letayf – Urologista

Dra. Marcella Batista Venture Soares – Gastroenterologista

Dra. Silvana Vianello – Oftalmologista

Dr. Marcelo Calcagno da Silva – Cirurgião Pediátrico

Dr. Marcius Marques Nogueira – Angiologista e Cirurgião Vascular

Dra. Maria Zélia Tavares Moreira – Pediatra

Dr. Marilho Tadeu Dornelas – Cirurgião Plástico

Dra. Marselha Marques Barral – Cardiologista

Dr. Miguel Vicente Monteiro de Castro Jacob – Urologista

Dra. Mirna Granato Salomão Nagib Marques – Pediatra

Dr. Olímpio Marcio Andrade Soares – Angiologista e Cirurgião Vascular

Dra. Patrícia Oliveira Carmo – Mastologista

Dra. Patrícia Venture Soares – Dermatologista

Dr. Roberto Heleno Lopes – Oncologista

Dr. Ronald Kleinsorge Roland – Infectologista

Dr. Rubens Murilo Gibaile Soares – Oftalmologista

Dr. Sílvio Rodrigues da Costa Junior – Oftalmologista

Dr. Thiago de Oliveira Barros – Otorrinolaringologista

Dr. Valdeci Manoel de Oliveira – Ortopedista e Traumatologista

Dra. Vanusa Maria Miranda de Freitas – Médica da Família

Dr. Wilson Coelho Neto – Cardiologista

 

Apoiadores